Últimas Notícias
Alunos de São Gonçalo aprendem como prevenir afogamentos


Alunos de São Gonçalo aprendem como prevenir afogamentos

Prefeitura faz parceria com Corpo de Bombeiros para orientar estudantes

A cada uma hora e meia, um brasileiro morre afogado e, de todos os óbitos por afogamento, 45% ocorrem até os 29 anos. Trazendo estes e outros dados e, principalmente, informação e conduta de prevenção, o Comando de Bombeiros de Área das Atividades de Salvamentos Marítimos, do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ), realizou, nesta segunda-feira (19), uma palestra para os alunos de oitavo e nono anos da Escola Municipal Aurelina Dias Cavalcanti, no bairro Amendoeira.

O projeto, que acontece atualmente em cinco escolas da rede municipal de São Gonçalo, busca esclarecer os cuidados que devem ser tomados para que os perigos em ambientes aquáticos sejam evitados. A orientação principal é que os jovens busquem praias que possuam o serviço de guarda-vidas e que, em caso de dúvidas, busquem a ajuda deste profissional.

“A gente sabe que o afogamento é a primeira causa de morte em crianças de 1 a 4 anos, a segunda de 5 a 9 anos e a terceira de 10 a 14 anos e jovens também morrem afogados. Essas mortes acontecem em praias, rios, lagoas e piscinas e o trabalho foca na prevenção aquática em todos esses ambientes. É uma troca muito importante, nós aprendemos muito com os jovens e também damos orientações para que eles possam usufruir do meio aquático com total segurança”, disse o Coronel Fábio Braga, comandante do Comando de Bombeiros de Área das Atividades de Salvamentos Marítimos.

A parceria com a Secretaria de Educação veio do entendimento da necessidade de falar sobre o tema de forma didática e explicativa. Para o secretário de Educação, Maurício Nascimento, além de falar para os jovens, é importante que eles sejam multiplicadores, em seu círculo familiar e de amigos, para que a informação atinja ainda mais pessoas.

“É importante que os nossos alunos tenham esse conhecimento para evitar que o afogamento aconteça com ele e com pessoas próximas. Além disso, é preciso fazer um alerta aos pais de crianças pequenas, que fiquem atentos e previnam acidentes com seus filhos nestes ambientes. Nós buscamos essa parceria por entender que é necessário falar sobre o tema e informar os nossos alunos de forma correta”, afirmou o secretário.





Link Original