Últimas Notícias
Alunos de São Gonçalo conhecem projeto de agricultura familiar


Alunos de São Gonçalo conhecem projeto de agricultura familiar

Estudantes da rede municipal visitam assentamento em Monjolos

Com um olhar curioso e aguçado, os alunos da Escola Municipal Marinheiro Marcílio Dias, em Itaúna, foram visitar, nesta quarta-feira (30), o assentamento de produtores rurais gonçalenses que fazem parte da Agricultura Familiar, em Monjolos, composto por mais de 130 assentados. No passeio, as crianças tiveram a oportunidade de conhecer o espaço, a plantação, a estufa e ainda plantaram hortaliças e se deliciaram com frutas e legumes frescos.

A Agricultura Familiar faz parte de uma iniciativa da Secretaria de Educação da Prefeitura de São Gonçalo, em parceria com a Secretaria de Agricultura, Pecuária, Pesca e Assuntos Portuários, que garante que pequenos produtores do município forneçam alimentos para a merenda escolar, em atenção ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). A iniciativa da visita foi da Subsecretaria de Alimentação Escolar, com a intenção de despertar nos alunos o gosto pela comida saudável e a vontade de cultivar o próprio alimento.

“Nós pensamos em trazê-los aqui para mostrar que esse cultivo é feito no nosso município, pertinho deles, não é uma coisa distante. É muito importante essa aproximação com a terra, com os vegetais e com as frutas. Eles estão saindo daqui sabendo como se planta o alface, o tempo de cultivo dos temperos e como é a vida nas áreas mais rurais”, disse a subsecretária Pâmela Lemos.  

Conhecido como Carrapato, o presidente da Associação de Produtores Rurais Assentados da Fazenda Engenho Novo (Aprafen) e da Cooperativa dos Agricultores Familiares e Empreendedores Familiares Rurais (Coopafer), Marco Antônio da Silveira ressalta que todos os produtos cultivados são de produção agroecológica, e, por isso, não é adicionado nenhum tipo de agrotóxico.

“O que nós procuramos, enquanto membros do assentamento de São Gonçalo e enquanto gonçalenses, é produzir para as crianças aquilo que gostamos de comer, de dar para os nossos filhos. O abacaxi, por exemplo, é um produto que os agricultores usam muito veneno na produção tradicional e nós não vamos usar. Nós preferimos perder a roça do que usar o agrotóxico. Preferimos fazer ajustes e descobrir o nosso caminho com o que é mais importante: a saúde. Aqui nós produzimos alimento saudável”, explicou Carrapato.



Link Original