Últimas Notícias
Jogos Mundiais Universitários – Dia 3: desembarque em Chengdu

Finalmente chegamos a Chengdu, depois de mais de 20 horas de voo. E nunca fez tanto sentido a expressão “é longe, lá na China”. É distante mesmo: foram 12 horas de São Paulo a Adis Abeba e mais 10 horas da capital da Etiópia até a China, isto sem falar das cinco horas de conexão. A delegação brasileira conta com 150 atletas em 11 modalidades, A abertura do evento, com 10 mil atletas de 150 países, ocorrerá na sexta-feira (28).  

Parte da delegação brasileira desembarca em Chengdu para Jogos Mundiais Universitários - dia 3 - em 26/07/2023

Para passar o tempo, conversas, jogo de dominó, filmes a bordo truco e, claro, uma soneca para descansar o corpo. Apesar do longo tempo de deslocamento, os atletas permaneceram focados. Os do judô e do taekwondo, por exemplo, atentos à dieta para ficarem dentro do peso de cada categoria. Já o pessoal do atletismo e natação se preocupava com o alongamento e a mobilidade

Quem embarcou no mesmo vôo foi Diogo Silva Medalha de ouro no Pan-Americano de 2007, no Rio de Janeiro, o pós-atleta olímpico de taekwondo também participou dos Jogos Mundiais Universitários. Ele levou mais um ouro, em 2009, em Belgrado (Sérvia). Diogo agora representa o Brasil como Assessor especial do Ministério do Esporte, e aproveitamos a escala na Etiópia para conversarmos um pouco mais.

Diogo Silva, ouro nos Jogos Pan-Americanos de 2007, no RJ, é assessor do Ministério do Esporte que acompanha delegação brasileira nos Jogos Mundiais Universitários em Chengdu, em 26/07/2023

O ex-atleta Diogo Silva, ouro Jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio de Janeiro,  acompanha a delegação brasileira em Chengdu como assessor do Ministério do Esporte – COB/Direitos Reservados

“E um torneio incrível, extremamente forte, concorrido. Praticamente, os atletas com quem eu disputei a semifinal e a final, eu me encontrei com eles nos Jogos Olímpicos de Londres, que foi o ciclo olímpico que eu participei. Muitos atletas que estão aqui vão encontrar estes rivais nos Jogos Olímpicos de Paris, em 2024. É um torneio para levar com muita seriedade, que está abaixo apenas dos Jogos Olímpicos. Os Jogos Mundiais Universitários colocam o atleta muito próximo de uma medalha olímpica, de uma grande conquista internacional. Aqui não é um lugar de teste, é para mostrar quem é bom, quem é capaz, competente e está apto a disputar um grande torneio internacional”, analisou o Diogo Silva.

No último voo até o destino final, a delegação descansou um pouco mais. Afinal, ao chegar a Chengdu, ainda teria que retirar credenciais, desfazer a mala, tentar se adaptar ao fuso horário e ir direto para o primeiro treino no local, para começar a busca por medalhas no melhor da forma física.

* Maurício Costa viajou à Chengdu como integrante da delegação da Confederação Brasileira de Desporto Universitário (CBDU). A entidade convidou a EBC para participar da cobertura durante os 17 dias de competição.

, Maurício Costa – Enviado especial*

Fonte: Agencia Brasil