Últimas Notícias
Defesa Civil une tecnologia e expertise humana para proteger áreas verdes da cidade – Prefeitura Municipal de Niterói


Com o aumento das temperaturas, surge o alerta para um perigo antigo: o risco crescente de fogo em áreas verdes. Desde abril, o estado do Rio de Janeiro vive um bloqueio atmosférico que acentua a estiagem e diminui a umidade relativa do ar. Atentos a essas circunstâncias atípicas para esse período do ano, os agentes da Prefeitura de Niterói anteciparam o Plano Inverno, do Programa Niterói Contra as Queimadas, e trabalham em um esquema especial de combate às queimadas. A Secretaria Municipal de Defesa Civil e Geotecnia atua com um pacote de ações que une a experiência dos agentes, os voluntários dos NUDECs e o poder da tecnologia para mitigar os efeitos das mudanças climáticas na cidade.

O aquecimento global e a intensificação de fenômenos atmosféricos são realidades globais. No último mês, foram registradas 70 ocorrências de fogo em vegetação na cidade. Em comparação com o que costumava ser registrado nesse mesmo período, foi identificado um aumento de 47 casos em relação à média dos anos entre 2019 e 2023. O Centro de Monitoramento e Operações da Defesa Civil também registrou um aumento de 30% de dias sem chuva nesse mesmo período.

Diante desse cenário, é preciso se adaptar. O secretário municipal de Defesa Civil e Geotecnia, Eric de Oliveira, explica a importância de investir em novas formas de prevenção contra as queimadas.

“A partir de junho, nosso trabalho vai ganhar novos recursos e vamos otimizar ainda mais as respostas às emergências. Vamos instalar três estações meteorológicas focadas em qualidade do ar em pontos estratégicos de Niterói. O Morro do Boa Vista, o Morro do Morcego, Jurujuba e Ponta D’Areia vão receber sensores de fumaça que foram desenvolvidos em parceria com a UFF. Esses locais, que historicamente registram muitos casos de focos de fogo, vão ser a nossa primeira experiência com essa tecnologia focada em antecipar incêndios”, explica o secretário.

Atualmente, a tecnologia é vista como uma forma complementar a toda uma rede de prevenção construída entre órgãos da Prefeitura e a população.

“Toda a Defesa Civil, em especial os agentes do Centro de Monitoramento e Operações e do setor de Minimização de Desastres e os mais de 3 mil voluntários dos NUDECs ficam alertas nessa época do ano. Os dados que observamos nos fizeram antecipar o Plano de Inverno para atender à grande quantidade de ocorrências atípicas para abril e maio. A causa principal dos incêndios é a ação humana, seja por balões, queima de lixos ou outra forma de ignição direta. Com foco em prevenir que esses maus hábitos ocasionem incêndios, trabalhamos na prevenção”, afirma Eric de Oliveira.

Em abril, a Defesa Civil intensificou o número de rondas preventivas, principalmente em bairros próximos às áreas verdes e de proteção ambiental. Em Niterói, elas representam mais de 50% do território do município. Essas ações constituem um plano de contingência para queimadas do município e são coordenadas entre as secretarias e órgãos externos. Dessa forma, os agentes e os voluntários trabalham propagando informação, conscientizando a população sobre como agir em situações de emergência e evitar um foco de fogo. A queima de lixo doméstico, o uso do fogo para limpar encostas, dentre outras práticas danosas são dúvidas frequentes dos moradores. Por isso, fiscais da Secretaria de Meio Ambiente, Corpo de Bombeiros, guardas ambientais e voluntários do Nudec Queimadas participam da iniciativa.

A Prefeitura ainda conta com um convênio com o Corpo de Bombeiros. São esses profissionais que, em caso de emergência, se responsabilizam por atuar no combate às queimadas e proteger a população. Para otimizar a resposta diante dessas emergências, o efetivo dos quartéis passou a contar com 10 bombeiros a mais por dia.

Niterói já tem 550 voluntários capacitados para auxiliar na prevenção e no monitoramento de incêndios em vegetação no município. A formação conta com aulas teóricas e práticas sobre Noções de Defesa Civil, Ações Preventivas e Política do Voluntariado, Meio Ambiente, Geografia de Niterói, Aspectos Nocivos das Queimadas, Atuação do Corpo de Bombeiros nas Queimadas, Meteorologia e Queimadas e aula prática de reconhecimento de trilhas no Município de Niterói.

No módulo prático, os voluntários recebem aulas de Combate a Incêndio Florestal, Atuação do Batalhão Ambiental da Polícia Militar do Rio de Janeiro na prevenção de queimadas, Primeiros Socorros (ABC da vida, Reanimação Cardiopulmonar, Queimaduras, Insolação, Hipotermia, etc), Transporte de Feridos e Orientação Cartográfica. Dentre os profissionais que já passaram pelo curso estão escoteiros, engenheiros ambientais, alpinistas, voluntários ligados ao resgate, das mais diversas classes sociais e profissionais.

NUDECs – O Nudec é uma das estratégias da política de prevenção da Secretaria Municipal de Defesa Civil e Geotecnia de Niterói. Atualmente são mais de 3000 voluntários de 153 núcleos. Durante todo o ano, é promovida uma política preventiva para minimizar os impactos das chuvas na cidade e os núcleos têm importante papel neste trabalho. Existem NUDECs nas comunidades, nos condomínios de casas e edifícios e o de multiplicadores de informações, contra queimadas e grupos de idosos. Cada grupo é formado, em média, por cerca de 20 pessoas. As equipes multiplicam os conceitos de prevenção nos locais onde residem, além de apoiarem as ações emergenciais da Defesa Civil em caso de chuvas intensas. A atuação dos voluntários é planejada para que seja na região onde vivem, porém, caso ocorra a necessidade de agir em outra área, existe uma logística para que isso ocorra.

Aplicativo – O aplicativo Alerta DCNIT é outro grande aliado para a população niteroiense, com alertas sobre previsão de chuvas fortes, ressaca, ventos e condições do tempo para risco de incêndio em vegetação. O sistema também conta com botão que direciona o aparelho automaticamente para uma ligação com a Defesa Civil, gratuitamente através do 199. Desta forma, a Defesa Civil se aproxima cada vez mais do cidadão, possibilitando o aumento de uma cultura preventiva e o consequente aumento do poder de resiliência municipal.

Radar Meteorológico – A Defesa Civil avançou bastante a partir da instalação de um novo radar meteorológico de alta tecnologia, em 2023, que permite uma maior previsibilidade e acompanhamento das tempestades, além de possibilitar estudos de mitigação de riscos e demais projetos voltados ao aumento da proteção do cidadão e da capacidade de resiliência do município.

Foto: Divulgação