Últimas Notícias
São Gonçalo marca presença em seminário em Brasília


São Gonçalo marca presença em seminário em Brasília

Município é pioneiro na implantação de programa em sistema prisional 

 São Gonçalo é pioneiro na implantação da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional (Pnaisp) no Estado do Rio de Janeiro. E foi convidado para participar do I Seminário Nacional de Gestão da Atenção Primária Prisional em Brasília. O evento acontece, nestas quarta (6) e quinta-feiras (7), com representantes de todo o Brasil convidados pelo Ministério da Saúde. Do Estado do Rio, além de São Gonçalo, apenas o município do Rio de Janeiro recebeu o convite. 

O seminário é marcado pela retomada da importância da Atenção Primária à Saúde (APS) nas cidades, preconizando o direito à saúde das pessoas privadas de liberdade. Além de definir os objetivos do Ministério da Saúde para os próximos anos, o seminário foi marcado por trocas de experiências e identificação para apoio técnico aos profissionais da Atenção Primária Prisional (APP) para melhorar a assistência ofertada. 

Representando a Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil da Prefeitura de São Gonçalo, a subsecretária de Saúde Coletiva, Ana Cláudia Pinnas, participou da mesa para falar sobre a garantia da assistência à saúde no sistema prisional. “A participação de São Gonçalo nesse seminário traduz a importância da implementação e manutenção do Pnaisp no município. Esse é um momento de reflexão e troca de experiências com os demais municípios do Brasil, já que fomos os pioneiros na implantação do programa no Estado do Rio de Janeiro”. 

São Gonçalo tem oito equipes (enfermeiros, médicos, técnicos de enfermagem, psiquiatra, psicólogo, dentista, assistente social, auxiliar de saúde bucal) da Atenção Primária atuando no sistema prisional no município, financiadas pelo Ministério da Saúde e Governo do Estado. Os governos custeiam os profissionais de saúde e os insumos. Assim, a Prefeitura de São Gonçalo não tem qualquer custo de saúde com essa população. 

O Pnaisp garante a linha de cuidados da atenção básica do Sistema Único de Saúde (SUS) dentro dos presídios da cidade, evitando que as pessoas privadas de liberdade tenham que sair para as unidades de saúde. Atualmente, a cidade conta com uma média de 4 mil pessoas desta população nos dois presídios existentes – Tiago Teles de Castro Domingues e Juíza Patrícia Lourival Acioli, ambos em Guaxindiba.





Link Original